segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Átila Alexandre Nunes - Sancionando a Lei do Axé - Oferendas religiosas

Vereador Átila Alexandre Nunes, do estado do Rio de Janeiro sancionando a LEI DO AXÉ.                                 

Lei do Axé

fontes - Reuters


As homenagens a Iemanjá começaram cedo no Rio de Janeiro. Umbandistas jogaram flores na Praia de Copacabana três dias antes da festa de revéillon na orla carioca.
Turistas acompanharam o cortejo no sábado e as praias entraram no clima de festa revéillon no ultimo final de semana do ano.
A procissão de religiosos seguiu em carreata do Estácio, na região central, até Copacabana, na zona sul, na manhã ensolarada de sábado.
Um barco de madeira foi lançado com oferendas, cena que deve ser repetidas muita vezes na noite do dia 31 e no dia 2 de Fevereiro, Dia de Iemanjá.
Com a nova legislação municipal, a Prefeitura está autorizada a multar quem joga lixo no chão. Por causa disso havia uma preocupação na cidade com a possibilidade de multas a Umbandistas  que lançassem oferendas ao mar.
Para não prejudicar a festa, foi sancionada no dia 19 a chamada LEI DO AXÉ, que garante a realização de cultos religiosos em datas festivas como a virada do ano.
A procissão de sábado foi organizada pela Congregação Espírita Umbandista do Brasil. Religiosos levaram palma e frutas, lançaram suas oferendas e participaram da gira de umbanda na areia.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Lendas da Criação - A Saga dos Orixás




Livro muito interessante que aborda sobre as lendas dos Orixás dentro da Umbanda Sagrada.
Todos os contos são baseados na morada interior (ORUN) plano espiritual. Onde o primeiro Casal criado por Olorum foi Exu e Pomba-gira. Com textos muito bem elaborados, como em todas as publicações Rubens Saraceni, nos mostra em todo o contexto uma humildade e respeito mútuo, revelando altos nível de conhecimento. Sendo essencial para os praticantes da Umbanda e Candomblé. Assim como é revelado alguns mistérios, os significados das conchas, mantos, a ligação que os ebós tem com os Orixás, e a coroa respectiva de cada divindade o livro é composto por uma tabela com alguns verbos atuantes e função especificas.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Filme - Cordão de Ouro (1979)




Primeiro filme brasileiro filmado em 1979 mostra a historia de Jorge um escravo que se rebela com o sistema da época, e se junta aos guerreiros de Ulu Auacá para soltar os outros escravos. Mostra a ligação da Capoeira com as religiões Africanas e os Orixás como tema principal desse longa metragem 100% brasileiro, trazendo muitos ensinamentos sobre a Capoeira e os Orixás.

Documentário - "A Umbanda é Mogibá"








Documentário produzido em 2010, direção de Adilene Cavalheiro, pesquisadores e dirigentes umbandista expõe seus pontos de vistas em relação ao surgimento da umbanda no Brasil.
Documentário distribuído pela produtora Quântica Filmes, belíssimo registro de idéias e argumentos de fácil entendimento.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

CAMPANHA PARA A CONSCIENTIZAÇÃO DO UMBANDISTA NOS TRABALHOS DE FINAIS DE ANO NA PRAIA

por - Rodrigo Correia dos Santos, Médium, Ogã e Sacerdote Umbandista.

Venho em nome da Umbanda Sagrada, religião essa que sustenta muitos praticantes, estudiosos, para o grande problemas que são os excessos de lixos nos trabalhos que os Terreiros fazem na beira da praia. 
Vamos evitar não poluir ainda mais nossos mares, maior fonte de vida e de energia tanto espiritual quanto material de nosso planeta. Aos términos dos trabalhos recolham todos os lixos produzidos pela casa, e até mesmo a do vizinho, por que não!? Umbanda é simplicidade e união, hoje existem várias formas de abrirem oferendas sem a utilização de "garrafas de vidro, garrafas petis, fracos de perfumes e até os barcos da Yemanjá".
Pois os mesmos, são produzidos de "isopor" material que demora meses para se decompor, poluindo ainda mais nosso meio ambiente.
Yemanjá não gostaria de ver o mar, "reino dela poluído", isso acaba anulando as vibrações ondas energéticas que o mar transmite para todas pessoas do mundo.
Hoje dentro da Umbanda temos um termo chamado "Umbanda Verde" desenvolvido por sacerdotes que focam substituir alguns elementos que agridem o meio ambiento, por outros de fácil absorção sem "agredir", e energeticamente falando ao substituir o elemento, não altera a energia da oferenda.
Vamos praticar a cidadania e mostrar para a sociedade que as religiões de matrizes Africanas são lindas e sabem muito bem comemorar o mês desse grande Orixá que é Yemanjá, fazendo uma festa bem bonita para saldar nossa grande mãe.

"Bom trabalhos a todos!!!"

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

04/Dezembro - Dia de Iansã

por - Rodrigo Correia do Santos - médium, ogã e sacerdote umbandista.


Ontem 04/Dezembro comemoramos a data de um grande Orixá, conhecida tanto na Umbanda e no Candomblé como Iansã.
Orixá que ocupa o "quinto" trono sagrado fazendo companhia à Ogum, regentes do Trono Sagrado da Lei Maior. Esse responsável por toda a ordem e estrutura tanto do mundo espiritual quanto material, Iansã é conhecida também por ser um Orixá destemido quando falamos em guerra, presenteada por Olorum em dominar o elemento Ar com seus vento ferozes. Foi uma das três mulheres de Xangô Orixá da Justiça Divina. Na Umbanda é conhecida com a cor "amarela" que significa o "ouro", no Candomblé e conhecida com a cor "vermelha" que representa "guerra".
As filhas desse Orixá tem a personalidade muito forte, e são focadas em seus objetivos e carinhosas também, mas não abrem mão, de uma boa briga. 
Na época da escravidão os negros para não serem reprimidos com sua religião, começaram a sincretizar os Orixás Africanos, com os Santos Católicos, e Iansã teve o seu sincretismo com à Santa Barbara. Devido as característica de ambas, Iansã por possui uma espada, e Santa Barbara também, o cálice significa a pureza da vida.
Iansã na Umbanda é ofertada com acarajé, com velas de cor amarelas ou vermelhas.


terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Resenha - Os Orixás sob o Céu do Brasil






Marion Villas Boas traz nesse livro toda à riqueza do povo Yorubás, os contos são de fácil intendimento e bastante didático com fundamentação nas nações Africanas. Conta um pouco do nascimento do Candomblé no Brasil, mostrando suas diversas linhagens como as nações: Ketu, Angola, Jejê e Nagô e como surgiu o nome "nagô" dentro das raízes das religiões Africanas.
 Com uma ilustração muito bem elaborada de Sandro Lopes, que faz com que o leitor mergulhe em cada conto.
Recomendado como leitura obrigatória, para todas as pessoas que tem interesse em conhecer, e descobrir como é lindo o Candomblé e as religiões de matrizes Africanas.

Editora Biruta, ano de publicação 2013
Autor - Boas, Marion Villa
Ilustração - Lopes, Sandro
ISBN - 9788578481148

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Flora Izabel destaca em plenário o Dia Nacional da Umbanda - A parlamentar avalia como importantes as políticas voltadas aos umbandistas.

fonte - cidadeverde.com


Para destacar o Dia Nacional da Umbanda, comemorado na próxima sexta-feira (15), a Deputada Flora Izabel (PT) recebeu na manhã de hoje (13) representantes do segmento no Estado durante sessão ordinária da Assembleia Legislativa do Piauí.
A parlamentar avalia como importante as políticas públicas destinadas atualmente aos umbandistas do país, por meio da Secretaria de Promoção de Igualdade Racial, uma maneira, defende ela, "de respeitar a tolerância racial de um país marcado por consideráveis diversidade religiosa". Para a deputada no Estado do Piauí 91 Terreiros de Umbanda são beneficiados com assistência alimentar, por meio de cestas básicas destinada às comunidades. "Fui a Brasília pedir o aumento da quantidade  de cestas básicas entregues aos umbandistas do Piauí, uma iniciativa que implicou num resultado positivo, já que somos atendidos", enfatiza a petista.
O preconceito acentuado e a descriminação racial ao segmento do país foram termos usados pela deputada ao observar que ainda há resistência por parte da sociedade em conviver com as manifestações culturais dos grupos étnicos, motivo que considera um desrespeito intolerável e inadmissível na atualidade.
Em aparte o Deputado João de Deus (PT), ressaltou a discriminação sofrida pelo segmento religioso no Brasil, embora observe as políticas públicas desenvolvidas pelo governo estadual aos umbandistas piauienses. Informando que haverá uma lavagem das escadarias da Igreja São Benedito, na próxima sexta-feira (15) e que simboliza a limpeza dos pensamentos intolerantes diante da diversidade que as religiões defendem, a deputada afirma que no mesmo dia haverá uma apresentação cultural e religiosa ás 18:00pm naquela Igreja para comemorar a data.

domingo, 3 de novembro de 2013

Religião ou Comércio Religioso?

por - Rodrigo Correia dos Santos - Médium, ogã e Sacerdote Umbandista


Nos deparamos muito hoje em dia com o comércio religioso, altas taxas de mensalidades, altos custos! - Já ouvir dirigente dizendo que "Terreiro" é como uma empresa, se for assim para fazer parte de uma religião seja ela qual for, a pessoa deverá levar carteira de Trabalho, exigir convênio médico, VA, VT.
Isso não é religiosidade, isso é exploração aos sentimentos das pessoas, que visam lucrar com o sofrimento alheio.
Aonde fica a caridade nessa história toda?
A evolução espiritual consiste em entrarmos em sintonia com nos mesmo, e através disso ajudarmos as outras pessoas a se restabelecem psicologicamente e espiritualmente também. Trazemos para essa vida uma grande bagagem que está  adormecida e nesse caminha de altos e baixo precisamos ativa-lá. Para que isso aconteça não precisamos cobrar por isso, lugares onde se praticam religiosidade  são lugares abençoados por Deus, para se fazer as caridade para o próximo. Como dize o Caboclo das Sete Encruzilhas "os espíritos mais evoluídos aprenderemos, aos menos evoluídos ensinaremos, e nenhum renegaremos". Será que está acontecendo isso na prática? Nos dias de hoje essa frase maravilhosa do caboclo passou a ser dita assim.
 - "As pessoas que tem dinheiro aceitaremos, as pessoas com menos dinheiro toleraremos, e as outras pessoas aceitaremos desde que tenham algum lucro mensal". Muitas casa pensam dessa maneira, devemos sim! pagar as contas mas temos que dar preferência a espiritualidade dos frequentadores e buscarmos novas iniciativas de trazer a sociedade para dentro das casas religiosas de rito africana, sem pensar apenas em lucrar com seus frequentadores e deixar a espiritualidade em segundo plano.
Temos que pegar como referência o catolicismo que desenvolver maneiras alternativas de chamar tantos os seus frequentadores quanto toda a população para dentro do templo, não visando o "lucro financeiro" como primeiro plano, e sim incentivar a religiosidade para a sociedade.  

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Resenha - Mitologia dos Orixás






Essa obra é uma compilação de contos e depoimentos sobre o Candomblé, é a maior coleção de Mitos dos Deus Iorubás já reunida. Composta por 301 episódios, belíssimas fotos e uma fácil leitura. Recomendo para todas as pessoas que se interessam pela espiritualidade e pelas religiões africanas. 
O Candomblé tem muito à nos ensinar, são nossos irmãos mais velhos, devemos sim, reverenciar e respeitar essa linda manifestação de Fé, Alegria, Amor...

Editora - Cia. dos Letras
Autor - Reginaldo Prandi.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

4ª - Semana da Umbanda na Cidade de São Paulo

Do dia 11/Nov a 15/Nov será realizada a 4ª SEMANA DA UMBANDA na Cidade de São Paulo, localizado no Zona Leste na Mooca.
Rua Taquari,635 - (Clube Escola da Mooca).
Venha participar também...
Vamos mostrar para sociedade e para todos que a Umbanda é linda e maravilhosa...
Contamos com a sua presença!!!



quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Fernando Gabeira - O Caminho dos Orixás

Fernando Gabeira em reportagem para Globo News, mostra um pouco do Parque Caminho dos Orixás, localizado no estado do Rio de Janeiro em Petrópolis. Uma matéria excelente mostrando um pouco da Umbanda e do Candomblé religiões afro-brasileira.

Líderes do espiritismo explicam rituais da Umbanda e do Candomblé - No Parque dos Orixás, no RJ, espíritas realizam cultos com finalidades variadas, como a de descarrego e até para resolver problemas amorosos.

Fonte - Globo News

Na Estrada Velha da Serra da Estela, na Região Serrana do Rio de Janeiro, há acesso ao Parque Ecológico dos Orixás. É uma região aonde seguidores do espiritismo, tanto da Umbanda quanto do Candomblé, se reúnem para realizar suas cerimônias religiosas.
Segundo Luiz Nunes, administrador do parque, hoje a região é uma terra abandonada, mas já teve diversas fazendas, que foram abandonadas devido à febre amarela que era ameaça no local. "Morreu muita gente de febre, isso aqui ficou abandonado e muita gente se apossou. Aqui, uma Federação toma conta, e todos os associados pagam anuidade. Com essa anuidade eles usam o espaço o tempo todo sem pagar nada", revela.
Enquanto a Coca-Cola, que comprou as terras do Vale há cerca de um ano, não ocupa o local, os religiosos realizam cultos de descarrego, batismo e iaô
José Antonio Luiz Balieiro, Presidente da Federação Espírita Brasileira (FEB), diz que o Parque Ecológico dos Orixás foi criado para o povo da Umbanda e do Candomblé fazerem seus trabalhos espirituais. "Através de muito esforço criamos o espaço onde as pessoas podem vir fazer suas oferendas, podem vir passar o dia, e inclusive temos áreas de lazer, vestiários feminino, masculino. Estamos trabalhando dentro da energia positiva, dentro da natureza, onde nós podemos reverenciar todos os Orixás no espaço que é deles", declara.
Há variedade de comida nas oferendas. Nas cerimônias, uma longa preparação em terra firme e uma parte final da água, quase sempre embalada por um canto e o ritmo das palmas. Uma delas é o ritual de iniciação, na qual uma pessoa se prepara para se tornar filha de um Orixá.
"Primeiro ela tem que agradar a todos os Orixás da Natureza, Oxum, Xangô, Oxossi, os Orixás do rio, da mata e das cachoeiras. Ela fica no roncó por 16 dias. Quando completa o último dia, ela vai sair no que se chama de barracão de santo, a casa do Candomblé", conta leda de Oxossi, mãe de santo.
Em uma cerimônia conduzida pelo Babalaô Leonardo para resolver um problema amoroso, alimentos foram dispostos em posições determinadas, e o sangue de um frango e uma pomba foram derramados nos pés de uma mulher. "Dentro do culto do Candomblé, a gente não faz sacrifício, a gente dá oferenda para o Orixá. A gente faz isso nos nossos trabalhos culturais", explica Walmir de Omulu, pai de santo.
Já na Umbanda, não existe oferenda de sangue, segundo o pai de santo. "A gente pega o pombo, que é o Divino Espírito Santo, faz a consagrações e solta ele vivo na mata", explica Walmir de Omulu, pai de santo.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Livro NEGRO - Robson Pinheiro







Nesse belíssimo livro, Pai João mostra toda sua humildade e elevação espiritual ao mostrar que perante ao Pai Maior, todos os espíritos são tratados com igualdade e amor. Robson Pinheiros muito bem auxiliado pelo espírito Ângelo Inácio, nos revela que somos nos mesmo os causadores de nossos problemas, e nos ensinam que a felicidade vêm a partir da nossa evolução, em buscar sempre o caminho do conhecimento. Que todos esses conflitos e estereótipos religiosos no plano carnal são obras criada pelos seres humanos.
Ed. Casa dos Espíritos
Autor - Pinheiros, Robson

Projeto leva ensino da cultura africana para escola de comunidade quilombola no Maranhão

Fonte: agência brasil

No Centro Quilombola de Alternância Ana Moreia (CEQFAAM), o projeto Coisa de Preto leva a linguagem, dança, culinária e religiosidade Africana para a sala de aula. O colégio funciona há quatro anos na comunidade quilombola Santo Antônio dos Pretos, na área rural de Codó, no interior do Maranhão, a 300 quilômetros de São Luis. "As nossas raízes foram se perdendo", declarou Francisco Carlos da Silva, uma das lideranças da comunidade quilombola Centro do Expedito. "A lei 10.639 diz que se deve trabalhar dentro das disciplinas a questão da importância e valorização da história da África. Ma, infelizmente, isso não acontece. Se você pesquisar as comunidades quilombola, não só em Codó, mas no Brasil, é uma raridade ver o jovem quilombola envolvido na questão cultural, na questão da sua identidade", declarou.
No CEQFAAM, o projeto deve continuar sendo desenvolvido nos próximos anos. "Os alunos que moram em uma área quilombola não levam muito a sério isso. Mas nós, que moramos, levamos. Para mim é importante, e eu sei que vai ajudar no meu desenvolvimento tanto como pessoa como na comunidade", disse o estudante do 3º ano do ensino médio, Francisca Aldaísa da Silva.
No fim do ano, Aldaísa conclui a formação básica e tem um plano: estudar para ser aprovada em uma faculdade, e cursar pedagogia. "Quero se professora e ensinar na comunidade. Eu vejo que a comunidade precisa de professores para ensinar os alunos". Silvia concorda com Aldaísa. Segundo ele, a falta de formação e o preconceito, tanto dos professores que vêm de fora, como dos próprios moradores, principalmente religiosos, fazem com que a Lei 10.639 não seja cumprida. As religiões cristãs têm ganhado espaço nas comunidades quilombolas, fazendo com que religiões como a Umbanda tenham menos adeptos. Coisa de Preto é o primeiro projeto desenvolvido voltado para cultura afro-brasileira. Embora não tenha sido criado com esse propósito, o projeto marca os dez anos da Lei 10.639/03 que se torna obrigatório no currículo escolar o ensino  da história e cultura africana.

"Vamos aproveitar o mês da consciência negra [novembro] para fortalecer e valorizar a cultura afro. Serão várias apresentações que vão envolver as cidades e as comunidades próximas", disse o idealizador do projeto o professor Solon da Nóbrega.

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

Cafundó - Filme Nacional






João de Camargo (Lazaro Ramos) viveu nas senzalas em pleno século XIX. Após deixar de ser escravo ele fica deslumbrado com o mundo em transformação ao seu redor e desesperado para viver nele. O choque é tanto que faz com que João tenha alucinações, acreditando ser capaz de ver Deus. Misturando suas raízes negras com a glória da civilização Judaico-Cristã, João passa a acreditar que seja capaz de curar e realmente acaba curando. Ele torna-se então uma das lendas brasileiras, se popularizando como Preto-Velho.



Araranguá sedia 1ª Feira de Umbanda

Fonte: Redação Engeplus

A Umbanda será tema central de um evento destinado a apresentar para a sociedade de Araranguá e região que estiverem visitando o centro, questões como religiosidade, princípios e fundamentos desta cultura ainda pouco conhecida. Será nesse sábado, dia 5 de Outubro, a 1ª Feira de Umbanda, das 8:00am as 17:00pm na praça Hercílio Luz.
Atualmente, registrados na Confederação Nacional de Umbanda existem 70 instituições (Terreiros) em Araranguá, mas há muitos que não estão nesta listagem, como aproximadamente 110 Casas Espirituais que fazem atendimentos diversos, como jogos de búzios, cartas e benzeduras.
Na programação, estão atividades como exposição de imagens, tarô, búzios, essências aromáticas, artesanato típico, figurino tradicional, apresentações culturais, palestras com Babalorixás e Yalorixás. Com a parceria de 17 Casas Espirituais cerca de 100 pessoas estarão envolvidas nas atividades do evento.

domingo, 29 de setembro de 2013

Cosme e Damião ou Ibejis? Conheça a diferença - por Pai NIno D'Oxumarê

Fonte: Noelle Oliveira - Portal EBC


O dia de São Cosme e São Damião, para os católicos, também é celebrado no Candomblé. Nesse caso, no entanto, comemora-se a tradição em 27 de Setembro e, tendo como referência, dois Orixás. "Não são as mesma figuras, mas em ambas são irmãos com histórias de vidas parecidas", explica Pai Nino D'Oxumarê, da Federal de Umbanda e candomblé de Brasília e do Entorno.
Sabe quem são Cosme e Damião?
Nesse caso, a tradição tem como referência os Ibejis, divindades africanas. Para o Candomblé eram irmãos gêmeos que, em troca de brinquedos e doces, resolviam os problemas levados a eles. "Resolviam problemas garantiam colheitas mas, casos as promessas não fossem cumpridas, faziam travessuras e podiam até mesmo reverter o que havia  sido pedido",  conta  Pai Nino.
Segundo a lenda, um dos irmão morreu afogado e o outro extremamente triste, pediu ao "Deus supremo",  que o levasse. "Conta tradição que foi deixada na terra uma imagem em que a figura dos dois apareciam juntas e jamais poderiam ser separadas. A partir de então, as promessas passaram a ser feitas para a imagem, também em troca de doces e brinquedos", conta.
"Os Ibejis são celebrados com cultos próprios durante todo o ano, Já que estão ligados a ideia de "criação", são cultuados em todos os rituais", explica Nino. "Devido a convivência com a cultura cristã, também fazemos festa em Setembro em que são distribuídos brinquedos, doces e Caruru (comida típica que pode ser acrescida de amendoim ou castanha) para as crianças", explica.
Já na Umbanda, celebra-se Cosme e Damião e não os Ibejis, na mesma data. "Quando os escravos foram trazidos da África para o Brasil acabaram criando a Umbanda e, para poderem realizar seus cultos, associaram seus deuses aos do catolicismo. Mas o princípio é o mesmo", conclui Pai Nino D'Oxumarê.

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Prefeito Fernando Haddad veta Umbanda com Patrimônio Imaterial do Estado de São Paulo

Fonte: UOL - Jornal A TARDE, 17 Setembro de 2013, assunto BRASIL, às 16:20pm.
por - Diego Zanchetta - Agência do Estado

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), vetou nessa terça-feira 17, o projeto de lei que tornava a Umbanda patrimônio imaterial de São Paulo. A proposta, assinada por 18 dos 55 vereadores paulistanos, "não pode ser tratado por meio de lei própria, vez que a declaração de um bem como patrimônio imaterial reveste-se de aspectos que extrapolam critérios exclusivamente políticos, técnicos ou jurídicos", segundo a justificativa do veto feita pelo prefeito.
O projeto aprovado em duas votações, no Legislativo foi liderado pelo vereador Laércio Benko (PHS), Umbandista que costuma defender as religiões de "matrizes africanas" em seus discursos no plenário do Palácio Anchieta. Para Fernando Haddad, porém, "para que a Umbanda possa ser declarada patrimônio cultural imaterial paulistano, é necessário ser a proposta correspondente submetida a criteriosos estudo técnico, envolvendo equipe multidisciplinar, formada inclusive por historiadores e antropólogos, o que só pode ser realizado por meio do procedimento administrativo" dentro da Secretária Municipal de Cultura.
O único patrimônio cultural imaterial de São Paulo continua sendo a Casa Godinho, inaugurada em 1888 no Centro de São Paulo. A decisão foi tomada após dois anos de estudos do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico (CONPRESP), cuja a avaliação foi de que a Casa Godinho "ainda mantém o sistema de atendimento ao cliente no balcão, direto e pessoal, característico dos antigos empórios de secos e molhados".
Na fila para ganhar o mesmo status da Casa Godinho estão o sotaque da Móoca e a Festa de San Genário - os pedidos para se tornarem bens imateriais seguem sob análise do órgão municipal.
Ao vetar a Umbanda como bem imaterial paulistano, o prefeito também citou que a religião tem o 15 de novembro como data comemorada anualmente no calendário oficial da cidade com o Dia da Umbanda e do Umbandista.


sábado, 24 de agosto de 2013

Café do ArteFolk programa de entrevista realizado por Nino Denani

O irmão Nino Denani, autor do livro "Se Meu Pai é Ogum" deu inicio ao novo projeto chamado Café do ArteFolk um programa de entrevista, com bate papos muitos descontraídos e com assuntos fundamentando nas religioes Afro-brasiliera.
O programa Café ArteFolk é encontrando no no site: www.artefolk.com.br



terça-feira, 30 de julho de 2013

O Babalaô Ivani dos Santos também foi recebido pelo Papa

fonte - raizesdeumbanda.com.br

RJ - O Babalaô Ivani dos Santos, um dos representantes da Matriz Africana, foi recebido pelo Papa Francisco no evento realizado sábado (27) no Teatro Municipal, destacou o feito inédito de um Papa recebendo um representante do Candomblé.
"Pela primeira vez um representante do Candomblé é recebido por um papado. Isto é inédito", afirmou. 
Ele contou que na sua conversa com Francisco, ele entregou um livro com fotos sobre a caminhada pela liberdade religiosa que acontece todos os anos no Rio e que, neste ano, está agendada para o dia 8 de Setembro. Ele contou que foi convidado para participar do evento pelo próprio Vaticano, que será um dos participantes dessa caminhada em Setembro.
"Foi um passo muito importante. Marca um gesto de respeito às religiões afro-religiosas e minoritárias", finalizou.



Prática de Cura na Umbanda Aproxima Freqüentadores da Religiões de Matrizes Africana

fonte - radiumbanda.com.br

Psicólogo constatou que as concepções de saúde e doença não são as mesmas da medicina.
(Ag.USP de Notícias)

Na Umbanda os rituais de "pratica de cura", mais do que indicar o estado de doença ou saúde de uma pessoa, aproximam o freqüentador da religião. Durante três anos, o psicólogo Alexandre Mantovani visitou um tradicional Terreiro de Umbanda  na Cidade de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, para analisar estas práticas e constatou que as concepções de saúde e doença não sãos as mesmas da medicina. "Elas estão ligadas à compreensão do ser humano a respeito do mundo e não obrigatoriamente ao seu estado físico", conta.
De acordo com o psicólogo, as "práticas de cura" apresentam uma função de inserção comunitária, já que, na Umbanda, classificar uma pessoa como saudável ou doente implica em reconhecer seu grau de proximidade com a religião. "Se doente é ser saudável são formas de olhar a pessoa como sendo mais ou menos religioso".
Ao todo Mantovani fez 65 visitas à Tenda de Umbanda do Pai Joaquim do Congo e Ogum Guerreiro onde colheu subsídios para seus estudos. A Construção social de cura em cultos umbandistas: estudo de caso em um Terreiro de Umbanda em Ribeirão Preto - SP, apresentado na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCLRP) da USP de Ribeirão Preto. A pesquisa lhe permitiu observar, por exemplo,  que para os seguidores da Umbanda a doença não apresenta sempre um sintoma físico, mas é concebida como fruto de alguma força ou ação negativa produzido por um espírito ou pela própria pessoa. "Eles acreditam que isso pode ser por pensamentos, sentimentos ou emoções, como inveja, ódio ou cobiça que possam atrair espíritos malfazeros", descreve.
Além das visita Mantovani chegou a participar de cultos e, mesmo sem apresentar nenhum sintoma físico de doença, foi submetido a um tratamento espiritual. "Antes, quando era um estranho, eu era considerado 'doente'. Depois de estar inserido na lógica da religião passei a ser visto como uma pessoa 'saudável'", explica.
A coleta de dados para a pesquisa deu-se por meio de observações participantes no Terreiro de Umbanda investida da ética psicanalítica, anotações, em diários de campo, entrevistas e registros audiovisuais, como foto e vídeos. Os registros foram analisados com base na psicanálise de Lacan e na abordagem antropológica da pessoa. Uma aproximação do psicólogo ao social.

Transporte e Descarrego
Mantovani  verificou nesses rituais duas "práticas de curas espiritual": o transporte e o descarrego. O transporte é uma forma de tratamento no qual o médium incorpora o espírito obsessor daquele que procura o culto, livrando-o das causas que lhe provocam o mal. Para os seguidores do culto, segundo o psicólogo, o que leva um espírito a se aproximar de uma pessoa ("encostar" na pessoa) é a ação de um feitiço, um trabalho espiritual feito por alguém com o intuito de causar males, prejuízos e danos à outra pessoa. Já o descarrego é o ato de purificar alguém ou algum ambiente de energias espirituais negativas.

Doenças como Punição
O psicólogo observou também que a "prática da cura" está ligada às relações internas do Terreiros de Umbanda. Quando o médium que está com pouca freqüência nos cultos apresenta qualquer reação diferente no momento da incorporação de espíritos (como por exemplo, cair, também chamados pelos seguidores da religião como "levar um coro" do espírito). "Quanto mais afastada a pessoa está ligada a religião, será considerada mais suscetível às doenças espirituais", diz Mantovani.
Para se entender melhor o tratamento espiritual e sua importância para a comunidade, é necessária a compreensão de que o rito é desempenhado seguindo a estruturação total da comunidade. "Doença, saúde e cura estão relacionadas à noção de "pessoa" umbandista. O tratamento espiritual, que é uma inserção do freqüentador na comunidade umbandista, se desenvolve no campo das relações simbólicas do Terreiro. É o  compartilhamento de crenças entre  curadores e frequentadores que vai determinar a eficácia do tratamento" observa o pesquisador.

domingo, 21 de julho de 2013

Sozinho - Curta Metragem produção Tv Mundial de Espiritismo







Nesse curta metragem produzido pela Tv Mundial de Espiritismo, chamado SOZINHO, mostra como podemos ser vulneráveis em atrair determinadas vibrações e como somos facilmente atacados por determinados obsessores no nosso dia-a-dia.
Esse curta metragem foi dividido em duas partes.





Mãe Mônica Berezutchi, sacerdotisa umbandista fala sobre a Identificação dos Orixás

Mãe Mônica Berezutchi, nesse pequeno vídeo fala como os Orixás atuam na coroa mediúnica dos médiuns dentro da umbanda sagrada.

sábado, 20 de julho de 2013

Documentário - A Visão do Xamã sobre a Tribo Krahô.

Documentário a respeito dos Xamãs do povo indígena Krahô, localizado no Estado de Tocantins.
Produção - Estrela do Oriente Filmes
Duração: 48:00 min.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Programa Consciência Próspera entrevista Gero Maita - Médium, Sacerdote Umbandista e Dirigente

Nessa entrevista realizada pelo programa consciência próspera, Gero Maita fala como entrou no mundo espiritualista, como foi seu chamada e o encontro com Ramatis que se tornou um grande amigo de Gero, e como ele emprega o conhecimento de Ramatis dentro da Umbanda.


segunda-feira, 8 de julho de 2013

Rádio Terra entrevista Jorge Scritori - Sacerdote Umbandista

Entrevista com o Sacerdote Jorge Scritori dirigente do Instituto 7 Porteiras do Brasil, na rádio Terra AM1330 apresentado pelo Sacerdote Francisco Borges.







domingo, 7 de julho de 2013

Ritual da lavagem de cais no Rio homenageia escravos que desembarcaram no porto - Construído em 1811, o Cais do Valongo foi redescoberto em 2009 por arqueólogos, durante as obras da Zona Portuária. É considerado o maior porto de escravos das Américas

fonte - Agência Brasil

Com trajes de festa, flores, atabaques, tambores e agogôs, mães de santo e representantes do Candomblé cumpriram hoje (5) o ritual de lavagem simbólica do CAIS DO VALONGO, na zona portuária da Capital Fluminense, onde desembarcaram mais de meio milhão de Africanos escravizados, em meados no século XIX.
A primeira lavagem ocorreu no ano passado, durante a inauguração do espaço. Para a presidente do Centro Cultural Pequena África, Mãe Celina de Xangô, que coordenou o ritual, a lavagem do Cais do Valongo deveria entrar no calendário oficial de festividade da cidade.
"O Cais do Valongo não é apenas municipal, como também estadual, federal, ele é mundial, pois para cá vieram escravos de vários países, várias tribos. Pretendo, enquanto viva for, estar a frente desse ritual", disse.
"Celebramos o passado, mas também a vida, sempre pedindo a eles [ancestrais] que nos deem força, nos deem paz e orientação."
Mãe Celina explicou que as cantigas, os batuques do ritual são os mesmos da época dos escravos que por ali passaram e que a reprodução dessa manifestação é uma forma de celebrar a vida e trazer alegria aos ancestrais.
Construído em 1811, o Cais do Valongo foi redescoberto em 2009 por arqueólogos, durante as obras da Zona Portuária. É considerado o maior porto de escravos da Américas. Em 1843, o local foi soterrado para se tornar o Cais da Imperatriz e assim receber dona Teresa Cristina, para se tornar a esposa de Dom Pedro II.
O diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio (CDURP), Alberto Gomes da Silva, explicou que parte dos centenas de milhares de artefatos encontrados na área do Cais do Valongo farão parte do acervo permanente do Centro Cultural José Bonifácio, na região portuária, que esta sendo restaurado. A inauguração do centro e da exposição dos objetos está prevista para 20 de Novembro, Dia da Consciência Negra. Dentro os objetos arqueológicos encontrados, que estão em fase final de catalogação, há búzios, cachimbos, louças, ornamentos e objetos de uso religioso.
A presidenta do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro (COMDEDINE), Dulce Mendes de Vasconcellos, expressou o desejo de que os próximos rituais sejam apenas homenagear os antepassados, sem a necessidade de atos de combater o racismo e a intolerância contra as religiões de matriz Africanas. "Outro desejo do comdedine é que ele não precise mais existir, pois não terá mais este objetivo de combate, ou que mude completamente seus objetivos", disse.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

'Encontro de Tambores' agita fim de semana na cidade de Goiás - Evento acontece paralelo ao Fica e divulga a cultura afrobrasileira. Programação tem oficinas, palestras e bloco em cortejo por ruas da cidade.

fonte - globo.com

O Bloco Cultural Pilão de Prata, da cidade de Goiás, realiza até sábado (6) o 5º Encontro de Tambores da cidade. O evento acontece paralelo à 15ª Edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA) e tem como objetivos o resgate e a divulgação da cultura afrobrasileira.
O encontro começa na noite desta quinta-feira (4), no pátio da Igreja do Rosário dos Pretos. O lançamento terá apresentações de escolas de samba. Além disso, está marcada uma roda de conversa com o tema "Os Tambores, o Balanço das Águas, a Força das Ervas, na Cultura que eu Vivo e Preservo".
Estão programadas oficinas, palestras e apresentações culturais. Dentre as oficinas ofertadas estão a de amarração de ojás e experimentação de dança afro, com a Ialorixá e historiadora Luciene Bonfim, de Salvador (BA), e a oficina de percussão, com os mestres Nego e Jorge.
O Cortejo do Bloco do Zé Pereirinha encerra o evento no sábado. O bloco vai sair do Largo do Rosário às 18:00h, percorre a Avenida Beira Rio Vermelho e segue até a Praça de Eventos. O bloco é formado por representantes de manifestações culturais negras, como casas de Umbanda, Escolas de Samba, Grupos de Capoeira, Cururu, Congo e Afroxés.

Templos de diferentes religiões abrem as portas para peregrinos na JMJ

fonte: globo.com

Centros de Umbanda e Igrejas Evangélicas se cadastraram para receber jovens. Líderes dizem que convivência pode reforçar a tolerância religiosa.
Centros de Umbanda, clubes Judaicos, Igrejas Evangélicas e Anglicanas serão alguns dos locais que vão hospedar peregrinos que vem ao Rio de Janeiro, na Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Os líderes das entidades garantem que as diferentes concepções de crença não vão provocar atritos, mas sim reforçar o diálogo e a tolerância entre as diversas religiões. Até a primeira semana de julho, mais de 300 mil pessoas já estavam inscritas para participar do evento, que acontece entre 23 e 28 de Julho.
Com o altar que inclui Jesus Cristo, rodeada de estátuas de Santos e Pretos Velhos, a sala principal da Casa Irmandade Batuíra e Pai Miguel das Almas, em Anchieta, subúrbio, será,  por uma semana, a morada de 10 jovens. O coordenador do espaço, o ex-seminarista Sebastião Mauro de Sá, 62 anos,  acredita que não haverá preconceito.
 - "Eu vou acolher independente da religião, não tem diferenciação. O peregrino vem com o objetivo dele, de ver o papa e participar de uma ação. Eu, no meu espaço, vou abrigar apenas, não vou discutir religião." Diz Sebastião, que frequentou o Seminário São José por oito anos, até seguir o Candomblé.

Sincretismo Religioso
O Centro Cultural Afro Ojuobá Axé, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, vai receber 70 jovens. A diretoria da instituição, Luanda Guimarães, conta que o sincretismo religiosos faz parte do local.
 - "Aqui oferecemos aulas de dança, capoeira, e temos frequentadores de várias religiões, como evangélicos, católicos e candomblecistas", conta a baiana, uma das fundadoras do bloco Ilê Ayê.
O Pastor Silas Esteves, da Igreja Evangélica Palavra Viva, vai receber uma família italiana no loteamento mantido pela congregação, em Niterói, na Região Metropolitana. Esteves, que também e professor de teologia da Shiloh University, nos Estados Unidos, acredita que o discurso do Papa no Brasil terá como tema a união.

domingo, 23 de junho de 2013

Curta Metragem - The Life (A Vida) - [animação]







A  animação mostra que temos que ter determinação, fé, foco, que nada na nossa vida vai vir fácil, nossa passagem pela Terra é ilustrada nessa animação como um grande "pilar" que temos que escalar constantemente, e que temos que cuidar de quem estar a nossa volta. 
"Hoje somos aprendizes... Amanhã somos a referência" para as próximas gerações.


Curta Metragem - A Ilha [animação]







Essa pequena animação mostra que devemos ter fé, quando estamos diante de um determinado problema, de uma maneira bem simples. divertida e de fácil entendimento.

Literatura - Memórias e Confissões - a saga de um espírito convertido.






É muito engraçado... falar sobre esse livro! - Já tentei me desfazer dele várias vezes e quando menos esperava ele retornava novamente em minhas mãos. Só me coube então ler... [risos].
Esse livro realmente é formidável, passando pelo Cristianismo e entrando no Espiritismo algumas vezes bem impactantes em algumas situações. Pietro Augustus é uma crianças que foi vendida completando parte de um dote na era medieval onde a Igreja Católica foi dominante, uma história que passa pelo lado negro das religiões envolvendo os sacerdotes, e mostrando as oscilações e as duvidas sobre quem se dedica na vida religiosa.
Conta todos os percalços que o sacerdote passa, e a grande guerra internamente, que todo o ser humano passa durante sua passagem Terrestre.


Rodrigo Correia dos Santos, Médium, Sacerdote Umbandista e Administrador do site:
www.tamboresdeorunmila.blogspot.com

sábado, 22 de junho de 2013

A Caminhada Religiosa se consiste em 7 Iniciações básicas - por Pai Guimarães Médium, Sacerdote Umbandista.

O Batizado acontece quando  uma pessoa que visita o Templo como frequentador e resolve fazer parte da corrente de trabalho da instituição como filho da casa. Este ato religioso é conhecido como Batismo. A pessoa é batizada em um ato religioso, que permite que ele possa fazer parte da corrente de trabalho e das atividades fechadas, sem o compromisso que outros iniciados têm. Cada casa tem sua particularidades e regras sobre esta situação.

A Primeira Iniciação - acontece quando um participante da corrente (curumim ou assistido), após o período de aprendizado e aceitação, resolve promover seu desenvolvimento mediúnico, então passa pela iniciação religiosa. É conhecida como Iniciação Mediúnica.
A Segunda Iniciação - ocorre no processo de revelação dos seus Orixás de Cabeça (Pai e Mãe) este ato religioso deve ser feito junto ao ponto de força da Natureza, ou deve-se ser levado ao Mar, após obrigações feitas na casa pela entidade chefe. Esta iniciação vai definir o tipo de caminhada a serem seguidos na vida religiosa. Ela é conhecida como Batismo de Pai e Mãe de Cabeça.
A Terceira Iniciação - é realizada quando se confirma os dons e qualidades mediúnicas. O médium iniciado no seu posto ou cargo (médium, cambono, porteira, curimbeiro). Esta iniciação é chamada de Preparação Mediúnica.
A Quarta Iniciação - é feita quando os mentores espirituais verificam que o médium está apto para ocupar seu posto ou cargo. O médium então é iniciado para ser melhor avaliado na sua postura e conduta. É quando ele é confirmado no cargo. Esta iniciação é a de Confirmação Mediúnica.
A Quinta Iniciação - é feita quando o médium após um período entre um ou dois anos, conquista seu reconhecimento e valorização. Neste momento ele passa pela Iniciação de Consagração Mediúnica.
A Sexta Iniciação - é quando ele recebe um posto de comando dentro da hierarquia religiosa, (Pai Pequeno ou Mãe Pequena) na casa. Sabendo que a quantidade de médiuns com esta qualificação é definida pela regência espiritual.
A Sétima Iniciação - acontece quando A Mãe ou Pai Pequeno iniciado recebe a sua Consagração Religiosa. A partir deste momento ele pode abrir os trabalhos e cumprir todas as funções que antes eram do Pai ou Mãe da casa. Sendo importante saber,  que quando um médium recebe uma Consagração de Graduação Religiosa, ele não pode mais ser destituído do seu posto. Nesta última Consagração Religiosa o Médium passa a estar habilitado e apto para abrir a sua casa, caso seja do seu interesse e dentro da sua missão religiosa.
Em todos os casos desde o início do batismo, todos os médiuns passam a ter obrigação de passar por um ato religioso anualmente chamado de AMACI.

A Verdadeira formação Religiosa tem etapas e tempo certo

fonte - Jornal do Axé, 23 junho de 2013

As pessoas que pretendem avançar no desenvolvimento das suas qualidades e dons mediúnicos deve saber: "Na Umbanda não tem que querer".  "Na Umbanda não se deseja ser".
Tudo só virá através da transformação, aceitação e missão e em conformidade a sua qualidade de dons. Ser religiosos não é receber uma Entidade ou estar de branco na corrente mediúnica.
É principalmente estar ligado a espiritualidade através das iniciações, preparações, fundamentos, sacramentos e prática religiosa, assim como oferecendo a todos a sua volta exemplo positivo de conduta e postura como cidadão.
O desenvolvimento mediúnico tem como principal missão aflorar as qualidades mediúnicas que cada um tem e prepara-lo para sua vida religiosa, mas para isto, você deve promover a aceitação do seu "Eu" interior e se aceitar no que você é, e não desejar ser o que não pode.
Muitas desejam ser Médiuns de Firmeza, mas seus dons e qualidades são para ser Cambonos ou Porteiras. Não podemos caminhar na contra-mão do nosso destino. Temos os direitos de fazer nossas escolhas, mas não podemos querer ser o que não temos condições de ser.
Muitas pessoas pulam etapas em sua caminhada religiosa, criando vazio que sempre irá priva-lo do merecimento e sempre será questionado por sua precipitação. Sempre estará incompleto na usa formação.
Nunca descobrirá o seu melhor e sempre sentirá um vazio ou a falta de alguma coisa em sua vida. Por outro lado, quando o desenvolvimento é feito com devoção, fé e disposição de abrir mão de parte da sua vida, onde se caminhar na busca do conhecimento e prática na sua vida as etapas necessárias, a evolução é mais rápida e melhor aproveitada. Os próprios médiuns sentem a diferença na usa vida e na firmeza na hora de praticar sua religiosidade.
Temos um nossa comunidade muitos 'cegos guiando cegos', ou seja, pessoas jovens sem experiência de vida e má formação religiosa, dando cursos e assumindo precocemente uma missão religiosa. Um fato que tem contribuído para a banalização do Umbandista.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

As Cinco Pessoas que você encontra no Céu - filme dublado



Baseado no Best-seller de Mitch Albom, o filme descreve quem são as pessoas que possivelmente encontraremos ao desencarnamos e quais são os resultados de nossas ações na vida Terrestre, e como o mundo espiritual absorve nossas atitudes.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Literatura - " Se Meu Pai é Ogum"







A visão de Jorge em relação ao desconhecido resulta a de toda pessoa que ouve pela primeira vez a palavra Umbanda. Jorge é sim um pouco de nós, apaixonado e aventureiro ao mesmo tempo não quer nem saber procura se distanciar cada vez mais. Quando a missão é dada pelo plano superior, vêm as cobranças através das dificuldades e muitas vezes até sobre o nosso próprio vicio. Os ensinamentos que Jorge nos trás nessa aventura, muitas vezes tendo que ser o ‘advogado do diabo’ traz muito esclarecimento, fazendo refletir em nossas ações no plano terrestre, que resulta no plano espiritual. Mostra que acima de tudo a fé, o amor, e o respeito, com as pessoas que estão dentro do nosso convívio, podem sim “vencer” todas as dificuldades e provações que são impostas em nosso caminho evolutivo. O maior aprendizado que Jorge teve nessa longa jornada foi a humildade, saber que toda ação tem uma reação, muitas vezes o resultado não vêm nessa vida, mas sim em outra. Nino Denani com uma escrita muita simples e de fácil entendimento “Se Meu Pai é Ogum”, faz você realmente ser o Jorge, ao começar as primeiras linhas você logo se identifica e mergulha dentro do livro para saber qual o destino de Jorge e qual será essa missão. Leitura recomendada á todos que queiram saber sobre o mundo espiritual e suas ações.”

Rodrigo Correia dos Santos, Médium, Sacerdote Umbandista e Administrador do site:
www.tamboresdeorunmila.blogspot.com


terça-feira, 11 de junho de 2013

Festa do Bonfim é registrada como Patrimônio Cultural Brasileiro

por - Murilo Alves - Portal do Afoxé


O Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) aprovou, na última quarta-feria (5/6), a proposta de registro de Festa do Senhor do Bonfim de Salvador como Patrimônio Cultural Brasileiro. O evento acontece interruptamente desde 1945, na Basílica Santuário Bom Jesus do Bonfim, na Cidade Baixa, sempre depois do carnaval. Baseada na devoção do Senhor Boa Jesus ou Cristo Crucificado, a Festa do Senhor do Bonfim possui matrizes religiosas distintas: a católica e Afro-Brasileira. Segundo o IPHAN, ela também envolve diversas expressões da cultura e da vida social soteropolitana. "Mais que uma grande manifestação religiosa da Bahia, a celebração é uma referência cultural importante na afirmação da  baianidade, além de representar um momento significativo de visibilidade para os diversos grupos constituidores da sociedade soteropolitana", diz, em nota, o instituto.

A celebração que integra o calendário litúrgico e o ciclo de Festas de Largo da cidade de Salvador reúne ritos e apresentações religiosas (além de manifestação profanas e de conteúdo cultural), durante doze dias do mês de Janeiro. Os festejos começam um dia após o Dia dos Santos Reis e terminam no segundo domingo depois da Epifania, no Dia do Senhor do Bonfim. Um dos pontos alto da festa, e que a individualiza no conjunto das Festas de Santo e Festa de Largo da cidade de Salvador, é a Lavagem do Bonfim, que se segue o cortejo de cerca de oito quilômetros, realizada por baianas e filhas de santo, acompanhada por um enorme contingente de moradores, turista e devotos do Senhor do Bonfim.

O Conselho

O Conselho que avalia os processos de tombamento e registro é formado por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia. Ao todo, são 22 conselheiros, que representam organizações governamentais e não-governamentais, e 13 representantes da sociedade civil, com especial conhecimento nos campos de atuação do Iphan.

domingo, 9 de junho de 2013

Documentário - O Cuidar no Terreiro






Belíssimo documentário trata da promoção da saúde, do direito à saúde, do respeito às orientações sexuais e o acolhimento às pessoas vivendo com o vírus do HIV nos Terreiros. Fruto da parceria do Ministério da Saúde com a Rede Nacional das Religiões Afro-Brasileiras, o documentário aborda a participação das lideranças de Terreiros como controle social.


segunda-feira, 3 de junho de 2013

FILHO DE FÉ OU FILHO PAGANTE? - por Grin Xangô

Grin Xangô fala nesse pequeno vídeo de uma realidade que infelizmente existe e que muitos dirigentes optam em seguir esse caminho.

sábado, 1 de junho de 2013

Mês de Junho Celebração da Fogueira de Xangô.

por – Rodrigo Correia dos Santos, Médium e Sacerdote Umbandista.

No mês de junho com a chegada das festividades juninas em todo o Brasil, é realizada uma grande comemoração ao Orixá Xangô com a famosa “fogueira de Xangô”, as Casas de Candomblé e alguns Terreiros de Umbanda realizam essas festividades.
Xangô foi o quarto rei da cidade de Oyo (Nigéria), que foi o mais poderoso dos impérios Yorubas.
A fogueira de Xangô é realizada de suas formas a primeira parte do lado externo do Terreiro ou Ilê (candomblé), onde consiste na construção de uma fogueira, ao iniciar-se a festividade coloca-se fogo na fogueira e os médiuns começam a dançarem e cantarem pontos à Pai Xangô, conhecido nas religiões Africanas como o Orixá do Fogo. Em algumas casas colocam-se oferendas em torno da fogueira, onde todos os médiuns são abençoados com a vibração e incorporação desse Orixá guardião do Trono da Justiça. Existem também casas que celebram junto com Pai Xangô, o Orixá Egunitá também, que é outro pólo de sustentação de Xangô dentro do mistério da Justiça Divina.
A segunda parte da festividade acontece dentro do Terreiro, onde todos os Orixás e entidades são chamados para celebram junto a Pai Xangô sua celebração.

Existem casa que quando vão fazer essa celebração são abertas ao público, mas geralmente como manda as tradições elas são sempre fechadas só os filhos da casa podem participar, ou médiuns convidados de outros Terreiros. Essa celebração é realizada próximo ao final de mês de Junho.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Oferendas na Umbanda Sagrada

por – Rodrigo Correia dos Santos, Médium e Sacerdote Umbandista

Nos rituais umbandistas e candomblecista têm uma prática muito utilizada que são as oferendas.
A oferenda significa um campo mágico aonde os Orixás e Guias espirituais irão absorver à “energia” presente naquela oferenda. Para se abrir uma oferenda não basta à quantidade, mas sim a qualidade, muitas vezes uma oferenda simples têm irá atingir seu objetivo melhor no de uma oferenda gigantesca.
Ouvimos muito das pessoas leigas sobre nossa religião dizer, para que ofertamos os Orixás e Guias, já que eles não podem comer o que esta sendo oferenda - do a eles. Os espíritos sobrevivem de “energias”, essas compostas em qualquer elemento natural de nosso Planeta, e de nossos corpos também, a partir do momento que somos energia vital para as manifestações dos espíritos.
Ao abrir uma oferenda num campo fechado “Terreiro”, ou num campo aberto “Natureza”, você estará desencadeando um portal energético onde ira desencadear milhões de energias para determinado Guia ou Orixá que será ofertado naquele momento.
Na oferenda cada elemento tem o seu direcionamento e campo de atuação, assim as bebidas também fazem parte da oferenda, como o fumo também tem sua função na oferenda junto com as velas. Todos esses elementos citados acima numa oferenda será tão poderosa, que os Guias e Orixás serão presenteados com uma bomba de energia, assim restabelecendo e equilibrando e fortalecendo aquele espírito.
Fazendo com que aquela entidade consiga trabalhar em todos os campos da pessoa que está lhe ofertando com a oferenda.
No Candomblé funciona da mesma forma, o que gera muito discussão tanto no meio religioso com fora dele e a utilização de animais nas suas oferendas. Os candomblecistas utilizam muito a prática do sacrifício de animas em suas oferendas devido ao “sangue” que é uma energia muito poderosa dentro da religião Africana.
O sangue significa a “vitalidade”  pura dentro das religiões Africanas, devido à essa energia que vimos todos os dias alguma oferenda contendo algum animal.
Na Umbanda não praticamos o sacrifico, utilizamos o “sangue verde”, é uma combinação de ervas referente aquele Orixá que será ofertado, pegamos o sugo da erva (o liquido de quando elas são todas maceradas juntas) e derramamos na oferenda, numa forma de não agredimos tão radicalmente o meio ambiente, substituindo assim o sangue animal.
Quando abrirmos uma oferenda estão atuando com  os quatros elementos (Ar, Fogo, Terra e Água), porque isso?
·         Ar – ativação através de charutos, cigarros.
·         Fogo – ativação através do círculo, triângulos e retângulos de velas.
·         Terra – ativação devido à oferenda estar num alguidar, ou está diretamente na terra.
·         Água – ativação através dos líquidos presentes na oferenda.

Que essas informações possam ajudar à todos a abrir oferendas magníficas energeticamente e fortalecendo ainda mais as Entidades e os Orixás.
Axé